Skip to content

SHORT STORIES – imagine a world without tecnologies

01/06/2017

Divulgamos três pequenas histórias muito originais escritas por alunos do 10ºano para corresponder ao desafio que lhes foi lançado: – Imaginar o mundo sem tecnologias.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Short story The Fault in Modern Times

Inês Brandão and Luciana Lopes (10ªB)

I am Luke. I live in a different world from the one about a week ago. NASA cut off all electricity, taking with it every bit of technology.

I’ve tried everything, everything in my power, but nothing worked, nothing has yet been able to surpass technology, to entertain me, to keep me away from my lonely thoughts.

Last dinner, my family and I were discussing this crazy and unbelievable NASA thing when my grandfather barged in, claiming he had a room full of something called “books” that belonged to his ancestors. My grandfather explained me the concept of “books”, that is a part of someone’s brain being exposed in paper, and I found it beautiful and although I’ve never had contact with one, the only thing I wished for, in that moment, was to touch one and run my eyes through it.

So here I am, sitting down while the sun hits the book, lighting it up, and I finally let my fingers reach its cover, being “The Fault in Our Stars”  the words imprinted on it.

I’ve spent hours in this world full of words that touch my heart and bring me peace and love like I’ve never experienced before. I feel weird, for the first time ever I feel the love that everyone talks about.

I put the book down, reluctantly, I didn’t want to exit this beautiful and tragic world. A single book gave me in some hours something technology had never been able to give me for this entire time.

I look out the window, my eyes full of this emotion, just as this boy appears in my sight. He has the most beautiful brown hair, kissed by the sun. The prettiest face I’ve ever seen, and his eyes…oh his eyes, they stare back at me, their honey colour reaching me and my heart.

For the first time ever I fell in love.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Short Story A new and harder life

Susana Acabou and Cátia Silva (10ºB)

Thursday, 20th November 2030.

I was at home in Bremen, Germany, a dictatorial country, when all my family was surprised by five men. They took all of our technological devices, such as mobile phones, TV, microwaves and they even cut our light off! It happened to everyone we knew around, so we couldn’t know about the other people from other cities.

In the next morning my father ran home and brought a newspaper. There it was written the reason why it happened: the dictator took technology away from us. He did it so we won’t keep in touch with the whole world and he can control us. He cut off the electricity just for revenge because we had tried to make Germany free again, three weeks ago.

Now everything’s so boring, we don’t know what’s happening in the world anymore, we don’t know how our families are, we only can read or write, we can go outside only between 7am and 10pm, because if we get caught earlier or later, we’ll be punished!! If you want to talk with someone, you have to go and search for them, but if that person lives too far away you can write. NEVERTHELESS, BE CAREFUL, because the dictator will know what was written there!

Everything’s worse and worse, so different, and we’re sad not only because we have lost those things, but because we have lost our touch with the entire world and that’s completely weird, that’s so hard and everything’s so incomplete.

Well, that’s the tenth letter I’m writing since it happened, a week ago, and I hope no one finds it, otherwise, wish me good luck!!

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

SHORT STORY – The Big Change

Simão Guerreiro and João Baptista (10ºA)

 

This story happens in New York city, in 2060, in a completely new world.

The group of hackers “Anonymous” had created a virus that caused the destruction of all gadgets like tablets, smart phones and computers. Now the society has been adapting itself to the change.

This is a little bit of my story and how I have been adapting myself to this change. My name is John Baptist and I’m a 58 year-old- man. I must admit, I wasn’t hoping this for my future. This isn’t the way I expected life would be.

Now kids play in the streets, people interact a lot with each other and I think: “What happened to the world?”. When I look at the way my childhood was in 2015 and I compare it to the way kids live nowadays, I must admit that these kids are lucky, because they weren’t infected by the tech disease. Kids now play free, with no fears, they feel safer because they are less exposed and they love face to face conversations and appreciate and give much value to the moments with other persons, which didn’t happen so often in 2017.

Somehow I think the way I live now is much better but there is something that I see a little wrong, which is the education system without the use of gadgets because (the thing that I see in my children) sometimes gadgets would help a lot on research and group works.

In my early 15, I couldn’t imagine a world without any gadgets and I thought it would be the collapse of economy and society but now my point of view has changed and I love the way society has evolved.

Anúncios

O “Cérebro” veio à Escola do Monte

01/06/2017

Para assinalar a “Semana Internacional do Cérebro”, cientistas/investigadoras do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra visitaram a nossa escola no passado dia 20 de março e explicaram aos alunos a localização e funções do respetivo órgão, desenvolvendo diversas atividades alusivas ao tema: visionamento de um PowerPoint com informação e curiosidades sobre o cérebro, pintura de “pequenos cérebros”, construção de neurónios e realização de uma atividade experimental de eletroforese. Foi uma atividade muito interessante, experienciada de forma entusiasta e bem-disposta, que nos permitiu conhecer este órgão tão fundamental para o funcionamento do nosso corpo e para a nossa capacidade de pensar!


Carnaval na E.B. do Monte

01/06/2017

Durante o mês de fevereiro o nosso país enche-se de música, tradições e diversão, através de festividades em diferentes regiões para viver o carnaval. Mas não é só festa, alegria, diversão e folia, o carnaval também é história nas suas diferentes expressões Tem sido um espaço para caricaturar as convenções sociais, as leis e transgredir os códigos morais e religiosos. Este período é constituído pelos três dias que antecedem a quartafeira de cinzas, no calendário religioso ocidental, em que se inicia o período de abstinência (jejum) da Quaresma, que tem a duração de 40 dias. A Quaresma é um tempo de jejum, por isso o Carnaval era a última oportunidade para cometer alguns excessos… O nome de Carnaval, «adeus carne». Utiliza-se também a designação de Entrudo, nome que recorda a entrada na Quaresma. Murtosa não foi exceção, esteve novamente em festa para celebrar mais uma edição dos festejos carnavalescos e manter viva esta tradição com o desfile das nossas maravilhosas crianças.

Muitas vezes a alegria é representada através dos palhaços. Foi esta figura que todos temos no nosso imaginário e que representa a alegria a magia, a gargalhada que utilizámos como fantasia. Mas até o palhaço fica triste com tanta maldade da mão do HOMEM…… À mistura, adicionou-se um toque de dança e uma pitada de alegria e foi encontrada a simbiose perfeita para retratar/trabalhar o tema proposto, o bem e o mal vivem lado a lado. À procura de um final feliz o Jardim de Infância e Escola Básica do Monte desfilaram com imaginação, criatividade e de uma forma muito alegre, divertida participativa e muito conscientes do apelo que faziam à proteção do meio ambiente.
Desenvolvemos múltiplas atividades utilizando e reutilizando materiais da nossa escola e outros que recolhemos junto da nossa família e amigos. Vestimos a pele da personagem que nos propusemos com um propósito de obedecer ao tema proposto, apelar através de múltiplas mensagens a um MUNDO MELHOR, não esquecendo nunca a diversão e a interação com o público. SAMBA, ALEGRIA, COR E FANTASIA, foram as palavras chaves do nosso desfile.

 

 

 

 

Dia de Reis na EB do Monte

26/01/2017

fotografia-1

Na semana dos Reis, foram várias as atividades dinamizadas: restauraram-se e reutilizaram-se coroas e outros materiais, entoaram-se canções alusivas, elaborou-se um desdobrável e promoveu-se um lanche convívio com guloseimas oferecidas pelos pais e amigos, não faltando o tradicional bolo-rei. Foi solicitada a colaboração dos pais na recolha de informação sobre o tema e foi desta forma que, mantendo viva a tradição, conseguiu-se o estreitamento de laços com a Comunidade. Há a realçar o entusiasmo com que as crianças participaram nas atividades, sabendo que iriam apresentar-se aos pais e colegas “grandes”.

Para nos despedirmos desta época surpreendemos todos cantando as Janeiras com vestuário adequado e contando com a sempre enriquecedora colaboração do prof. Carlos Couras, com a sua voz, a sua viola, o seu profissionalismo e boa disposição, desejando a todos “Um Feliz 2017!”.

Não podemos deixar de referir, também, a grande satisfação da Comunidade Escolar com a realização desta atividade contando com a presença do senhor Diretor e da professora Marisol Afonso. Foi um excelente momento de socialização, aprendizagem, e convívio, visível no rosto de todos os presentes.

Mais uma vez revivemos e fomentámos o respeito pelas tradições, levando um pouco de cultura, um pouco de alegria, sentindo-nos verdadeiros reis e rainhas.

Houve Magusto no Monte!

26/01/2017

É outono!

As cores mudaram e as castanhas chegaram!

Com o S. Martinho à porta, aproveitámos a ocasião para explorar histórias, lengalengas, fizemos jogos, dramatizações, atividades de expressão musical e plástica (nomeadamente construção de cartuxos em diversas modalidades – materiais reciclados, origamis…).

E depois… o “Magusto”: lanche convívio com o degustar das castanhas teve, mais uma vez, o apoio do comércio local – a Padaria de Sto. António – e a contribuição dos Pais e Encarregados de Educação que enviaram estes deliciosos frutos da época. Este momento foi de grande divertimento, confraternização e alegria… em Comunidade.

É desta forma que nos enriquecemos e mantemos viva a tradição, fundamental para a formação da nossa identidade cultural.

fotografias-magusto-1-1fotografias-magusto-1-2

O MONTE ACREDITA QUE UM MUNDO A CORES É MUITO MELHOR!

21/12/2016

0001

0002

0003

Natal! Época de alegria, luz, família, partilha… E isso é tão mais valioso quando é alargado a todos, sem olhar a cor, religião, idade…

Começamos por explorar o maravilhoso livro de Luísa Ducla Soares, “Meninos de todas as cores” e depois de muitos diálogos, pesquisas, desenhos, textos… conseguimos perceber como é importante acolher e integrar todos aqueles que nos rodeiam, aceitando que é na diferença, em todos os seus aspetos, que reside o que de mais valioso existe no Homem.

Com essa variedade, acreditamos que a Humanidade é muito mais rica e muito mais bonita!

E foi tudo isto que na Festa de Natal quisemos partilhar com toda a Comunidade!

Um FELIZ NATAL para todos e um NOVO ANO COM MUITA COR NO CORAÇÃO!

Comunidade escolar do Monte

HOUVE MAGUSTO NO MONTE!

06/12/2016
magusto_monte

Magusto no Monte

É outono!

As cores mudaram e as castanhas chegaram!

Com o S. Martinho à porta aproveitámos a ocasião para explorar histórias e lengalengas, fizemos jogos, dramatizações, atividades de expressão musical e plástica (nomeadamente construção de cartuxos em diversas modalidades – materiais reciclados, origamis…).

E depois… o “Magusto”: lanche convívio com o degustar das castanhas teve, mais uma vez, o apoio do comércio local – a Padaria de Sto. António – e a contribuição dos Pais e Encarregados de Educação que enviaram estes deliciosos frutos da época. Este momento foi de grande divertimento, confraternização e alegria… em Comunidade.

É desta forma que nos enriquecemos e mantemos viva a tradição, fundamental para a formação da nossa identidade cultural.